Tipos de Cerveja


GRUPOS DE CERVEJA:

GRUPO: LIGHT LAGER
GRUPO: PILSNER
GRUPO: EUROPEAN AMBER LAGER
GRUPO: DARK LAGER
GRUPO: BOCK
GRUPO: LIGHT HYBRID BEER
GRUPO: AMBER HYBRID BEER
GRUPO: ENGLISH PALE ALE
GRUPO: SCOTTISH & IRISH ALE
GRUPO: AMERICAN ALE
GRUPO: ENGLISH BROWN ALE
GRUPO: PORTER
GRUPO: STOUT
GRUPO: INDIA PALE ALE - IPA
GRUPO: GERMAN WHEAT & RYE BEER
GRUPO: BELGIAN & FRENCH ALE





topo

Grupo: LIGHT LAGER

As Lagers são relativamente novas na história da cerveja. Surgiram no final do século XIV, mas só se tornaram populares na primeira metade do século XIX, com o advento das Pilsen e das técnicas mecânicas de refrigeração. De maneira geral, têm menor teor alcoólico que as Ale, São mais gasosas e maltadas, menos amargas (devido ao pouco lúpulo), mais refrescantes e pouco frutadas.

No processo de fermentação, o levedo se concentra no fundo do tanque e precisa de temperaturas mais baixas para viver, agindo mais lentamente do que o levedo das Ale. As Lagers permanecem maturando de uma a oito semanas em temperaturas baixas, daí o nome lager, que significa “guardada, armazenada”.

Nas Light Lager, encontram-se as cervejas com características mais leves e suaves se comparadas às Pilsen originais e suas variações. Muitas cervejas denominadas Pilsen estão enquadradas neste primeiro grupo porque compõem estilos de características bem definidas e próprias dos mercados em que atuam.

  • Lite American Lager
    Teor alcoólico: 2,8% a 4,2% pv
    Copos sugeridos: Shaker, Lager, Americano

    Este estilo de cerveja foi desenvolvido para agradar ao mais amplo espectro de público possível. É a versão mais light da bebida, atendendo à demanda cada vez maior por produtos de baixa caloria. Cerveja muito clara, de um amarelo pálido, tem aroma de malte quase imperceptível, e ocasionalmente recebe adição de milho ou de arroz. A levedura pode fornecer um leve aroma frutado, o que é aceitável. Apresenta altos níveis de carbonatação, o que provoca a sensação de secura e de frescor, e espuma branca mas pouco persistente. A sensação gustativa é crocante e seca, com toques adocicados e discretíssimo amargor de lúpulo.
    O uso de muito adjunto como arroz ou milho, que pode chegar a 40%, explica a sua leveza, que corresponde à de uma bebida leve e refrescante, que pode, em alguns casos, parecer “aguada”.

  • Standard American Lager
    Teor alcoólico: 4,2% a 5,2% pv
    Copos sugeridos: Shaker, Lager, Americano

    Sua principal diferença com relação à Lite American Lager é o teor alcoólico. Isso, associado ao acréscimo de um pouco mais de lúpulo, faz com que apresente mais corpo.
    Refrescante, e de amarelo bem claro, é transparente, com espuma clara, mas pouco persistente, e aroma discreto.
    De todos os estilo de cerveja, este é o mais popular, e representa a maior parte das vendas no mundo.

  • Premium American Lager
    Teor alcoólico: 4,6% a 6,0% pv
    Copos sugeridos: Pokal, Shaker, Lager, Americano, Willybecher

    Em geral, as cervejas Premium contêm maior teor de malte de cevada, isto é, usam menos adjuntos (no máximo 25%).
    Seu aroma revela a maior presença do malte, o que a torna mais dourada e levemente doce. Para contrabalançar, é utilizado mais lúpulo, o que aumenta o seu amargos em comparação com os estilos anteriores.
    A maioria das cervejarias produz suas próprias marcar “premium”para atender a um mercado fiel às Lager, porém mais exigentes quanto a aroma, corpo e qualidade. Como estratégia de marketing, tentam diferencias esses produtos utilizando a classificação “premium” e produzindo embalagens especiais.

  • Munich Helles
    Teor alcoólico: 4,7% a 5,4% pv
    Copos sugeridos: Pokal, Flute, Willybecher, Lager, Americano, Shaker

    Este estilo de cerveja foi criado em 1895, por Gabriel Sedmayr, na Cervejaria Spatern, de Munique, especialmente para competir com as emergentes Pilsen, da Boêmia.
    É uma cerveja com sabor predominantemente maltado, de cor clara, e levemente amarga devido à presença de lúpulo, que tenta o equilíbrio. De corpo e carbonotação médios, produz uma espuma branca e cremosa, deixando um retrogosto agradável de malte.

  • Dortmunder Export
    Teor alcoólico: 4,8% a 6,0% pv
    Copos sugeridos: Pokal, Flute, Willybecher, Lager, Shaker

    Este estilo de cerveja é originário da região de Dortmund, na Alemanha, daí o seu nome. Ssua característica principal é o equilíbrio entre malte e lúpulo, ou seja, entre adocicado e amargo. De média carbonitação, produz uma espuma branca e consistente, e retrogosto amargo. Tem mesmo fragância que uma Pilsner, mas é levemente mais forte, amarga e picante, devido ao processo exclusivo de maltagem da cevada. Consegue reunir as qualidades da Helles (perfil maltado) e da Pils (perfil lupulado), de maneira mais acentuada e, em geral, com maior teor alcoólico.
    O termo “Export” é usado na Alemanha para designar as bebidas com alto teor alcoólico.



topo

Grupo: PILSNER

Esse nome deriva da cidade de Pilsen, região da Boêmia, onde o estilo foi produzido pela primera vez em 1842 e tornou-se rapidamente o tipo mais produzido e consumido no mundo inteiro.

Aos proucos foram surgindo inúmeras variações, que exigiram definições de critérios para serem classificadas e identificadas. Muitos fabricantes nomeiam alguns de seus produtos como Pilsen, segundo os crítérios estabelecidos pelo BJCP (Judge Certification Program Inc), eles estão classificados no grupo anterior (Light Lager).

Neste grupo, chamado Pilsner, estão os estilos que mais se aproximam do estilo original, o Bohemian Pilsner. Os outros dois estilos, German Pilsner e Classic American Pilsner, possuem características muito semelhantes.

  • German Pilsner
    Teor alcoólico: 4,4% a 5,2% pv
    Copos sugeridos: Pokal, Flute, Shaker, Americano, Willybecher

    Irmã da Bohemian Pilsener produzida na região da Boêmia, difere dela pelas adaptações às condições das cervejarias alemãs. Seu carácter é menos de malte e mais de lúpulo. Sua espuma é branca, cremosa e persistente. É mais seca, crocante, clara e leve que a Bohemian Pilsener, e possui um amargor que domina e subsiste no retrogosto.

  • Bohemian Pilsener
    Teor alcoólico: 4,2% a 5,4% pv
    Copos sugeridos: Pokal, Flute, Tulip, Willybecher

    Este é o estilo que abriga as cervejas produzidas exatamente como em 1842, muitas vezes também chamada de Pilsen Checa.
    É um estilo ciro em buquê, refrescante e com acentuado sabor de malte em equilíbrio com o amargor do lúpulo, inclusive no retrogosto. Sua cor varia do amarelo palha ao dourado profundo, e é sempre cristalina. Tem espuma branca, densa, cremosa e dourada, corpo médio, e amargor proeminente e não agressivo, que logo desaparece.

  • Classic American Pilsner
    Teor alcoólico: 4,5% a 6,0% pv
    Copos sugeridos: Shaker, Willybecher, Lager, Pokal, Flute, Americano

    Esta é uma versão americana da Bohemiam Pilsener original, levada por imigrantes para os Estados Unidos. Com amostras do levedo e conhecimento sobre o processo de produção, foram utilizados ingredientes nativos da América para produzir uma cerveja muito parecida com a original. Depois da Lei Seca, passou a ser mais clara e menos amarga, adaptando-se ao paladar local.

    São cervejas claras e brilhantes, com boa espuma bastante persistente. Por utilizarem milho e eventualmente arros como adjunto, são refrescante, crocantes e secas. O lúpulo é notado, mas sem ser abressivo.

    Essas cervejas são encontradas nos Estados Unidos somente em brewpubs e microcervejarias de distribuição local.


topo

Grupo: EUROPEAN AMBER LAGER
Neste grupo estão reunidos dois estilos bastante tradicionais, originados fora da região da Pilsen, e que têm enstre si muito em comum. As cervejas deste estilo são fabricadas com malte de alta qualidade, de Vienna ou Munich, que lhes dá personalidade própria. A cor dessas cervejas é mais escura que a das Pilsen e mais clara que as das Dark Lager.

  • Vienna Lager
    Teor alcoólico: 4,5% a 5,5% pv
    Copos sugeridos: Willybecher, Pokal, lager, Shaker, Americano

    Utilizando um método diferenciado de maltear os grãos, esta cerveja foi desenvolvida em Viena (Áustria), em meados de 1840, por Anton Dreher, e levada para o México, no século XIX, por Santiago Graf.
    É uma cerveja de corpo médio, similar ao estilo Oktoberfest ou Marzen, embora menos intensa. A presença elegante do malte é contrabalançada pelo amargor do lúpulo, que enxuga o paladar e confere um final harmônico e labanceado. Sua cor varia do vermelho claro ao cobre. É sempre clara e brilhante, de carbonatação moderada mas espuma persistente.

  • Oktoberfest Ou Marzen
    Teor Alcoólico: 4,8% a 5,7% pv
    Copos sugeridos: Willybecher, lager, Pokal, Shaker, Mug/Stein

    Inspirada no estilo Vienna, é uma cerveja tipicamente produzida na primavera europeia, em março, daí o nome Marzen, sinalizando o fim da temporada cervejeira. É, então armazenada a frio durante o verão para ser consumida no outono, nas celebrações das Oktoberfest, entre os meses de setembro e outubro.
    Tem o aroma suave e elegante do malte tostado. Sua cor varia do dourado escuro ao avermelhado âmbar. Tem textura cremosa e espuma densa. Não é muito encorpada e provoca uma sensação doce de malte no início, com final moderadamente seco.



topo

Grupo: DARK LAGER
Estão reunidos nesse grupo os estilos Lager mais escuros, porém de teor alcoólico mais baixo que os do grupo Bock.

  • Dark American Lager
    Teor Alcoólico: 4,2% a 6,0% pv
    Copos sugeridos: Shaker, Willybecher, Lager, Mug/Stein, Americano, Pokal

    Este estilo abrange uma grande lista de cervejas Lager, mais escuras e menos amargas que as Pilsner. Em algumas utilizam-se adjuntos, tais como milho e arroz, que as tormam mais secas, e/ou corante caramelo, que as torna mais escuras. O resultado é uma cerveja de aroma mais adocicado que as do estilo Standard American Lager, mais com mais corpo e sabor.
    O aroma de malte é pouco percebido, e a bebida pode ser levemente frutada. Sua cor varia do âmbar profundo ao marrom escuro com reflexos rubi. Pouco encorpada, é bastante carbonatada, embora a espuma não seja persistente.

  • Munich Dunkel
    Teor alcoólico: 4,5% a 5,6% pv
    Copos sugeridos: Willybecher, Lager, Mug/Stein, Shaker, Americano

    Até o final do século XIV as cervejas utilizavam a levedura de fermentação de superficie (Ale) e eram escuras. Com o surgimento das leveduras Lager (fermentaçào de fundo), a Munich Dunkel tornou-se popular até o advento da Pilsen (Lager claras) no final do século XIX.

    Dunkel significa “escura” em alemão, e identifica o estilo clássico da cerveja Lager escura, maltada, espumante, com leve sabor torrado, produzida em Munique. Muitos cervejeiros consideram a produção da Munich Dunkel uma arte, pela dificuldade de acertar o ponto da torrefaçào do grão, que na percepção gustativa lembra pão crocante.

    O aroma dessas cervejas apresenta a doçura natual do malte, com toques de chocolate, caramelo, nozes ou toffee, e não é frutado. A cor vai de um cobre intenso ao marrom escuro. A carbonatação é moderada e o colarinho, cremoso. A grande quantidade de malte utilizado lhes confere um sabor rico de malte, mas não tão intenso quanto o sabor das cervejas do estilo Bock e não tão torrado quanto o das do estilo Schwarzbier. Alguns exemplos deste estilo não são filtrados e passam a sensação de pão líquido.

  • Schwarzbier ou Black Beer
    Teor alcoólico: 4,4% a 5,4% pv
    Copos sugeridos: Willybecher, Lager, Mug/Stein, Stem

    Schwarzbier quer dizer “cerveja preta” em alemão, embora sua cor seja marrom escura. Bastante encorpada, com leve aroma de malte torrado, quase achocolatado ou cafeinado, sabor doce e, ao mesmo tempo, amargo, esta cerveja está associada à região de Turíngia, na Alemanha, e é citada como afrodisíaca.

    Comparada aos estilos mais escuros de cerveja, como as Porter e Stout, é uma cerveja mais leve e refrescante com sabor menos torrado e menos amargo.


topo

Grupo: BOCK

A origem da palavra Bock é incerta. Alguns acreditam ter derivado do nome da cidade de Einbock, no sul da Saxônia, que foi um grande centro cervejeiro no século XIII. Com o tempo, as pessoas teriam passado a usar o termo Beck e, mais tarde, Bock, para designar a cerveja ali produzida. Outra hipótese é a de que certos povos, procurando o auxílio e a proteção dos deuses, produziam a sua cerveja apenas durante o período correspondente ao signo de Capricórnio, caprino que, em alemão, se chama Bock. Por isso, muitos rótulos de Bock exibem a imagem de um bode.

As cervejas Bock são mais fortes que as outras cervejas Lager, são mais robustas e mais alcoólicas, com maior presença de malte, e mais escuras, podendo chegar a tonalidades castanhas. Aepsar disso, são suaves, com notável presença de malte, porque são armazenadas para descansar antes de serem servidas.
As doppelbock e as Eisbock são fortemetne alcoólicas, podendo estars últimas chegar a 14% apv. AS Maibock são mais claras, porém mais amargas. Mas todas são ricamente maltadas e requerem um tempo de maturaçào mais longo, em geral meses.

  • Maibock / Helles Bock
    Teor alcoólico: 6,3% a 7,4% pv
    Copos sugeridos: Cálise, Snifter, Tulip, Stem

    Do grupo das Bock, este estilo de cerveja é o mais jovem, desenvolvido mais recentemente. Essas cervejas produzidas nos meses da primavera europeia, para serem bebidas em maio. Para facilitar a identificaçào, as Maibock podem ser descritas como uma versão mais clara e amarga da tradicional Bock.
    Alguns experts defendem o uso do termo Helles Bock para este estilo em especial, porque julgam uma versão mais forte da Munich Helles, reservando a Maibock àquelas sazonais. Cervejas deste estilo têm forte aroma de malte e cor variando de dourado forte a âmbar. Sua espuma é branca, cremosa e persisten, e o corpo, médio.
    Embora tostado, o malte utilizado é pouco ou nada caramelizado, permitindo a percepçào de malte e álcool de maneira sutil.

  • Tradicional Bock
    Teor alcoólico: 6,3% a 7,2% pv
    Copos sugeridos: Cálice, Snifter, Tupil, Stem


    Forte, de baixa fermentação, quase sempre escura, com acentuado sabor de malte eventualmente achocolatado, tem menos lúpulo em comparação com as outras Bock e teor alcoólico mais elevado que a Maibock. Inicialmente produzida na Saxônia nos séculos XIV e XVII, hoje é fabricada principalmente na Baviera.
    Tem forte aroma de malte e quase nenhum aroma de lúpulo. A cor varia de cobre claro a marrom, com boa claridade, espuma cremosa e persistente.
    São encorpadas, com carbonatação moderada e álcool levemente perceptível.

  • Doppelbock
    Teor alcoólico: 7,0% a 10,0% pv
    Copos sugeridos: Cálise, Snifter, Tulip, Wine, Stem, Mug/Stein


    Doppel, em alemão significa “dobro”. Enquanto o teor alcoólico da Bock tradicional pode variar de 6,3% a 7,2% por volume, a Doppelbock pode conter até 10% por volume. Esta bebida é normalmente consumida nas estações frias, como se fosse um conhaque.
    Geralmente os fabricantes usam para elas nomes que terminam em “ator”, seguindo a nomenclatura da primeira Doppelbock fabricada pelos monges paulinos na Alemanha, em 1870.
    Sua cor varia de dourado ao marrom escuro, chegando ao rubi. As versões mais escuras tem arroma bem forte de malte, alguams vezes achocolatado.

  • Eisbock
    Teor alcoólico: 9,0% a 14% pv
    Copos sugeridos: Snifter, Tulip, Mug/Stein, Stem


    Diz a lenda que um aprendiz mestre cervejeiro esqueceu alguns barris de cerveja Doppelbock foda da c ervejaria em um dia de muito frio. Parte do conteúdo congelou, mas o que restou agradou, pelo sabor ainda mais acentuado. Batizado de Eisbock, numa referência à bebida Eiswein, produzida a partir de uvas congeladas, este estilo de verveja utiliza alguns tipos de malte que lhe conferem um aroma maltado, ricamente frutado e com alto teor alcoólico.
    Não deve ser ententida como uma Doppelbock mais alcoólico, até porque existem algumas Doppelbock com maior teor alcoólico do que muitas Eisbock. Uma Eisbock boa consegue excelente equilíbrio entre a forte presença de malte e a sensação alcoólica. É bastante encorpada e pouco carbonatada sem se tornar enjoativa.



topo

Grupo: LIGHT HYBRID BEER
Neste grupo estão os estilos que chamamos de híbridos porque os ingredientes ou o processo de produção não obedecem rigorosamente nem às características das cervejas Lager nem às das Ale.

  • Cream Ale
    Teor alcoólico: 4,2% a 5,6% pv
    Copos sugeridos: Shaker, Lager, Willybecher, Mug


    A ideia de alguns cervejeiros americanos, tradicionalmente fabricantes de cervejas do estilo Ale, foi trazer uma versão mais carbonatada para competir com as cervejas do estilo American Lager. A partir de uma cerveja American Pale Ale, acrescentaram levedura Lager e adjuntos tais como arroz e milho, para dar leveza à bebida. Assim, conseguiram produzir uma cerveja equilibrada, sem predomínio do malte nem do lúpulo no sabor. Cervejas desses estilo são claras, como boa carbonatação (daí o termo cream) e aroma levemente adocicado.

  • Blond Ale
    Teor alcoólico: 3,8% a 5,5% pv
    Copos sugeridos: Shaker, Lager, Willubecher


    É uma cerveja popular nos Estados Unidos, produzida por muitas microcervejarias e brewpubs. Lembra uma Pilsen, devido a aparência clara e brilhante e à espuma persistente, mas trata-se de uma Ale, de corpo médio, com leve sabor de trigo. Alguns especialistas costumam caracterizar este estilo como American Kolsh, comparando ao estilo Kolsch original. A cor é bem clara, a espuma branca e com boa retenção, o lúpulo é discreto e o retrogosto é de malte seco.
    Além de trigo em pequenas proporções, algumas versões usam adjuntos como mel e frutas, mas sempre em pequena quantidade, para não descaracterizar o estilo.

  • Kolsch
    Teor alcoólico: 4,4% a 5,2% pv
    Copos sugeridos: Flute, Stange/Stick


    Considerada uma cerveja híbrida, loura como a Pilsen, seca e com o sabor de uma Ale, levemente amarga, é a cerveja tradicional de Colônia, na Alemanha. O termo Kolsh é protegido pela Kolsch Konvention, e só pode ser usado por aproximadamente vinte cervejarias locais que produzem, cada uma, a sua versão do estilo, que por isso apresenta inúmeras variações.

    O Kolch é uma cerveja delicada, de vida curta. É bastante clara e tipicamente filtrada, o que lhe confere um aspecto limpo e birlhante. A espuma branca não é persistente. O aroma revela notas de frutas (maçã, cereja ou pera), produzidas pela fermentação e não pela adição de frutas.

  • American Wheat ou Rye beer
    Teor alcoólico: 4,0% a 5,5% pv
    Copos sugeridos: Weizen, Lager, Willybecher


    Existem muitas variações deste estilo de cerveja, desce as suaves e levemente doces até as mais secas, agressivamente lupuladas, com forte sabor de trigou ou centeio. Há, inclusive, versões mais escuras, com acentuado aroma de malte. É obrigatório especificar quando o centeio é empregado na sua formulação, caso contrário presume-se o uso de trigo, quej á não há restrições como há na Alemanha. Cervejas baseadas em outro estilo (por exemplo, Stout, IPA), que usem quantidades significativas de centeio são incluídas neste estilo.

    Diferentemente das cervejas de trigo alemãs, cujo aroma lembra banana ou cravo, as deste estilo apresentam leve aroma frutado ou floral. Têm corpo médio e alta cabonatação. Nas versões mais fortes, a sensação alcoólica é perceptível.


topo

Grupo: AMBER HYBRID BEER

Neste grupo estão reunidos os estilos híbridos, de cor variando doe âmbar ao cobre, mediamente amargos.
De personalidade marcantemente regionais, As Altbier alemães e a California commom Beer são exemplos interessantes de tentativas de aproveitar a qualidade das Lager e das Ale numa só cerveja.

  • Northern German Altbier
    Teor alcoólico: 4,5% a 5.2% pv
    Copos sugeridos: Flute, Stange/Stick


    Nesta categoria estão as cervejas do estilo Alt, típicas da região norte da Alemanha.

    Alt, em alemão significa “antiga”, no sentido tradicional, uma referência ao antigo processo de produção da Ale. Mas a maioria utiliza leveduras Lager, o que torna o termo Altvier inadequado. Mesmo as que utilizam levedura Lager são armazenadas por longos períodos em caves úmidas e frias, após terem sido fermentadas em temperaturas mais quentes, e isso as deixa muito parecidas com as Ale.
    São âmbar, amargas e com aroma parecido com o de uma Pilsen, têm espuma clara e de boa retenção. O sabor é agradávelmente amargo, contrabalançando com o suave malte tostado. Têm corpo médio, com final seco e amargor persistente.

  • California Common Beer
    Teor alcoólico: 4,5% a 5,5% pv
    Copos sugeridos: Snaker, Lager, Americano, Stange/Stick


    Originária da costa oeste americana no final do século XIX, a cerveja deste estilo é fermentada em vasilhames rasos e a altas temperaturas (como as Ale), mas usando as leveduras Lager, o que a torna uma cerveja única. Como não hávia refrigeração e, se havia, era muito cara, os cervejeiros criaram tinas de cobre grandes e rasas que dissipavam melhor o calor. Este estilo de cerveja estava condenado a desaparecer junto com a cervejaria californiana Ahchor Brewing. Mas, ao decidir comprá-la e reerguê-la em 1968, Fritz Maytag não só presenvou a antiga fábrica e o estilo da cerveja, como foi um dos pioneiros no movimento de renascimento das microcervejarias nos Estados Unidos.

    As cervejas deste estilo são claras, de cor âmbar tendendo ao castanho, corpo médio e marcante caráter maltada e lupado. Sua espuma é de boa retenção. Têm final seco e crocante e sabores tostado e caramelado.

  • Dusseldorf Altbier
    Teor alcoólico: 4,5% a 5,2% pv
    Copos sugeridos: Flute, Stange/Sitck


    Estilo de cerveja associada à cidade Alemã de Dusseldorf. É muito semelhante à North German Altbier, porém mais amarga e ligeiramente mais clara. Apesar de usar levedura Ale, é armazenada durante um bom período a baixas temperatuas, como as Lager. Tem aroma complexo, rico de malte, e perfume de lúpulo.

    Sua cor âmbar claro ao cobre e o colarinho é cremoso e persistente. O sabor é dourabo, seco e agridoce, refetindo o amargor do lúpulo e a complexidade do malte.


topo

Grupo: ENGLISH PALE ALE

É um dos estilos de cerveja mais antigos e o mais popular nas ilhas Britânicas.
Estas cervejas usam levedura Ale, que agem mais rápido que o levedo das Lager e trabalham e temperaturas mais altas. Muitas pessoas, expecialmente os britânicos, empregam o nome Ale para designar todas as cervenas com fermentação na superfície. A expressão Pale Ale (pale significa “pálida, clara”) é usada para indicar que se trata de uma cerveja clara, distinguindo-a das Ale mais escuras (Brown Ale)

Neste grupo estão as famosas cervejas inglesas chamadas Real Ale, que são servidas no balcão, sem pressão extra, ou seja, apenas com a pressão natural e a força da gravidade, ou bombeadas manualmente.

  • Standard/Ordinary Bitter
    Teor alcoólico: 3,2% a 3,8% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Skaker, Willybecher


    Das cervejas Bitter, a Standard/Ordinary é a mais leve. Os melhores elementos têm um aroma de malte caramelado e leve torque de frutas. Sua cor varia do amarelo claro ao cobre.

    Um bom caráter de lúpulo é fundamental neste estilo, conferindo-lhe um amargor acentuado característico. A combinação de baixa carbonatação e baixo teor alcoólico dá a esta cerveja alta drinkability.

  • Special/Best/Premium Bitter
    Teor alcoólico: 3,8% a 4,6% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Snaker, wWillybecher


    Em qualquer estilo de cerveja, a diferença entre os tipos Standard e Premium é quanto a qualidade dos ingredientes, uma classificação indicada pelo fabricante mas de difícil percepção pelo degustador.
    No caso da English Pale Ale, e estilo Premium reúne as melhroes Bitter dos fabricantes, geralmente uma variação mais encorpada, mais alcoólica, um pouco mais escura e levemente mais amarga que a Bitter padrão ou standard. Os melhores exemplos deste estilo têm aroma de malte, embora com predominância do amargor do lúpulo, que lhes confere notas levemente frutadas. A baixa carnobatação produz pouca espuma

  • English Pale Ale
    Teor alcoólico: 4,6% a 6,2% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Skaker, Willybecher


    Em comparação com os dois estilos anteriores, a Extra Strong Bitter é ainda mais encorpada, mais amarga e mais alcoólica. A cor não muda muito em relação aos outros dois estilos de cerveja desse grupo, mas o sabor é bastante acentuado pelo malte e pelu lúpulo, combinado com o teor alcoólico superior, a torna uma bebida fácil de beber, muito sensível.


topo

Grupo: SCOTTISH & IRISH ALE

Esse nome remonta ao século XIX, quando o preço do barril da cerveja era calculado conforme o teor alcoólico e shilling era a moeda corrente.
Esquecidos por algum tempo, esses nomes já não eram utilizados na Escócia mas, com o movimento CAMRA, eles foram ressuscitados.

  • Scottich Light 60
    Teor alcoólico: 2,5% a 3,2% pv
    Copos sugeridos: Thistle, Englis Pint, Nonic, Skaker, Willybecher


    Este é o mais leve dos estilos escoceses. Tem um aroma quase adocicado à caramelização do malte e ao uso mínimo de lúpulo. Sua cor varia do âmbar ao cobre escuro. A espuma é cremosa e levemente dourava, noderadamente encorpada, com final seco.

  • Scottish Heavy 70
    Teor alcoólico: 3,2% a 3,9% pv
    Copos sugeridos: Thistle, English Pint, Nonic, Skaker, Willybecher


    O aumento do lúpulo visa contrabalançar o aumento do malte e evitar que se torne uma cerveja muito coce. Essa combinaçào torna a bebida levemente mais encorpada, embora sem alteração da aparência.

  • Scottish Export 80
    Teor alcoólico: 3,9% a ,50% pv
    Copos sugeridos: Thistle, English Pint, Nonic, Skaker, Willybecher


    Este é o mais alcoólico e amargo do estilo Scottich. Be mais encorpada que as anteriores, tem um leve toque de malte defumado.

  • Irish Red Ale
    Teor alcoólico: 4,0% a 6,0% pv
    Copos sugeridos: Thistle, English Pint, Nonic, Skaker, Willybecher


    Bastante maltada, com um leve toque amanteigado e frutado, às vezes de toffe. Usa pouco lúpulo, é pouco encorpada e produz espuma cremosa e clara. Algumas versões são fermentadas na superfície, embora seja possível encontrá-la também com fermentação de fundo Lager, que são as mais suaves. Podem c onter alguns adjuntos, como milho, arros ou açúcar, sem prejudicar a sua característica.

  • Strong Scotch Ale – wee heavy
    Teor alcoólico: 6,5% a 10% pv
    Copo sugerido: Thistle, English Pint, Nomic, Skaker, Willybecher

    A expressão wee heavy é usada para traduzir a impressão que esta cerveja produz no degustador. Escocesa de mais alto teor alcoólico, fortemente maltada, com gosto de caramelo, clara e pouco amarga, apresenta carbonatação moderada e uma grande variação de cores, entre âmbar claro e marrom escuro. A carbonatação é evidente, embra produza uma espuma nem sempre persistente. O caráter maltado, geralmente doce, a torma idela para acompanhar sobremessas.



topo

Grupo: AMERICAN ALE

Neste grupo estão reunidos três estilos de uma nova geração de Ale, surgidos na costa oeste americana a partir do movimento homebrew.
Os três estilos diferenciam-se entre si pela cor, que vai de levemente dourada a marrom.
Distinguem-se dos outros grupos por seu forte aroma floral, notas de caramelo, paladar mais cítrico e, às vezes, condimentado.

  • American Pale Ale
    Teor alcoólico: 4,5% a 6,2% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Americano

    Este estilo é considerado uma adaptação do estilo English Pale Ale, utilizando, porém, ingredientes locais (do continente americano).
    Comparado ao estilo tradicional inglês, este é bem mais amargo e alcoólico. A cor dessas cervejas vaira do amarelo claro ao âmbar e os melhores exemplos são considerados refrescantes, com aroma de lúpulo levemente cítrico e espuma branca com boa retenção.

  • American Amber Ale
    Teor alcoólico: 4,5% a 6,2% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Americano


    Popularmente conhecidas como Red Ale, estas cervejas fazem muito sucesso na região norte da California. São bastante parecidas com as American Pale Ale, porém mais encorpadas e com presença bem percectível de caramelo do malte.
    São carbonatas e produzem uma espuma cor de palha com boa retenção.

  • American Brown Ale
    Teor alcoólico: 4,3% a 6,2% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, tumbler, Shaker, Willybecher


    Pode ser descrita tanto como a versão americana da Northerm English Brow Ale, mas que utiliza ingredientes nativos, criando um estilo mais maltado e amargo, quanto como a versào mais escura da American amber Ale.
    O aroma tem traços de nozes, caramelo e chocolate, com notas cítricas do lúpulo utilizado. O forte caráter maltado contrabalança o amargor que, junto com a boa carbonatação e o teor alcoólico, confere uma sensação seca ao final da degustação.



topo

Grupo: ENGLISH BROWN ALE

As English Brown Ale são cervejas típicas da Inglaterra, com pequenas variações regionais. As do norte (Northern English Brown Ale) são mais amargas e de teor alcoólico mais acentuado, apesar de mais claras que as do sul (Southern English Brown Ale)

  • Mild Ale
    Teor alcoólico: 2,8% a 4,5% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Shaker, Willybecher, Mug


    Como as cervejas do estilo Bitter, as mIld Ale doram bastante populares na Inglaterra, especialmente no sul do país, até os anos 1960. Originárias das regiões mineiras inglessas, não são cervejas amargas, são quase doces e utilizam lúpulos aromáticos. Sua cor v aria do âmbar ao marrom com tom avermelhado. Têm baixa carbonatação e pouca espuma. Geralmente não são filtradas e seu aroma e sabor são resultado da combinação do malte e da levedura utilizados, o que proporciona inúmeras variações, tais como caramelo, toffee, chocolate, tostado, licoroso, melado e frutado (ameixas e uva passsa)

  • Southern English Brown Ale
    Teor alcoólico: 2,8% a 4,1 pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    Este é o estilo característico de Londes, conhecido como London Style. É geralmente citada como a versão Mild Ale em garrafa, porém é mais escura, forte e maltada.
    Muito saborosa, tem sabor e aroma de malte, que pode lembrar toffee, biscoito ou mesmo café. Sua cor é sempre marrom, podendo variar um pouco na tonalidade, de clara a bem escura, e muitas vezes opaca. É mais escura, porém menos alcoólica que as similares do Norte, as Northern English Brown Ale.

  • Northern English Brown Ale
    Teor alcoólico: 4,2% a 5,4% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    Essa variação da English Brown Ale, típica da região norte do país, é seca e amarga, com caráter mais próximo de nozes do que de caramelo.
    Muitos consdieram as cervejs deste estilo apenas uma interpretação masis forte (em teor alcoólico) e lupada da típica cerveja londrina.
    São tão claras quanto as Mild Ale, variando de âmbar a marrom avermelhado, e com boa carbonatação.



topo

Grupo: PORTER

Precusora do estilo Sout, a Porter foi a cerveja mais popular nos séculos XVIII e XIX em Londres. Seu nome está relacionado os trabalhadores londrinos que gostavam de misturar Ale com outras cervejas para conseguir uma bebida mais escura, de sabor mais forte e bastante alcoólica (mais de 7% pv). Era uma cerveja de longa maturação, que exigia grandes barris para sua armazenagem. Era também a cerveja favorita da George Washington, que c hegou a fabricá-la para seu próprio consumo.
Atualmente tem sido elaborada com malte bastante torrado, e tem boa receptividade no mercado, podendo utilizar fermentos Lager ou Ale.

  • Brown Porter
    Teor alcoólico: 4,05 a 5,4% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    Difere dos outros estilos de Porter por ser mais leve e adocicada, com menos álcool e características de torrefação leve. O aroma suave lembra caramelo, nozes ou chocolate, mas de forma discreta, equilibrada com toques de lúpulo.
    A cor marrom pode ir de clara à mais escura, com vairações em torno do rubi. Embora não chegue a ser opaca, sua transparência não é total. A espuma é clara, com boa retenção.

  • Robust Porter
    Teor alcoólico: 4,8% a 6,4% pv
    Copos Sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mud


    Dos três estilos de Porter, este é o que reúne as cervejas masi densas, encorpadas e amargas, embora sejam menos alcoólicas que as Baltic Porter. Mesmo apresentando características de torrefação nesse quesito são mais suaves que as Stout, o que lhes confere uma identificação mais leve e seca.
    Embora também varie no espectro da cor de rubi, é um pouco mais escura que uma Brown Porter. Tem boa fermentação de espuma castanha, que se mantém adequadamente.

  • Baltic Porter
    Teor alcoólico: 5,5% a 9,5% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    São cervejas tradicionalmente dos países do Mar Báltico (Suécia, Finlância, Estônica, Letônia, Lituânia, Polônia e Rússia), derivadas das Porter inglesas, mas influenciadas pela imperial Sout. As Baltic são bem menos amargas, mais claras e com mais álcool. Ao contrário do que ocorria no século XIX, quando utilizavam fermentação Ale, hoje são produzidas com leveduas Lager.



topo

Grupo: STOUT
Até bem pouco tempo atrás, as Stout eram consideradas estilos do grupo Porter e identificavam u mestilo Porter mais forte, mas não necessariamente mais alcoólico. As Stout Porter adquiriram personalidade própria graças à cerveja Guinness, que usou nessa denomiação a partir do século XIX, Hoje em dia, ela é referida apenas como Stout.

  • Dry Stout
    Teor alcoólico: 4,0% a 5,0% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    É similar à Porter, porém mais encorpada e cremosa, embora não seja mais alcoólica. As melhores são produzidas na Irlanda, e são reconhecidas por sua cor escura, quase preta, pelo arroma torrado que lembra cappuccino, e pelo toque discreto de chocolate ou cacau. É cremosa, amarga e seca, e sua espuma pode ir do claro ao marrom.

    Sua cor e sua secura se devem à cevada torrada, mas não maltada, embora algumas poucas cervejarias utilizem maltes escuros.
    Diz a lenda que essas cervejas devem ser bebidas acompanhadas por lagostas ou ostras, porque essa é uma combinação divina.

  • Sweet Stout ou Cream Sout
    Teor alcoólico: 4,0% a 6,0% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    As cervejas deste estilo surgiram no século XIX, quando um fabricante percebeu que muitas pessoas colocavam açúcar na cerveja para diminuir seu amargor e, então, teve a ideia de acidionar lactose à receita. Por essa razão, elas sempre foram aceitas mais como tônico do que como cerveja. São excelentes como acompanhamento de sobremessa.

    São cervejas cremosas, com espuma densa, adocicadas e levemente amargas em equilíbrio com o sabor adocicado pelo malte e pela lactose. Decididamente, mais qeu a Dry Sout, lembram um cappuccino alcoólico.

  • Oatmeal Stout
    Teor alcoólico: 4,2% a 5,9% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    É uma variação da Sweet Stout. Cerveja preta e opaca, com forte sabor de malte e, às vezes de chocolate. A adição de aveia, om ituito inicial de torná-la uma uma b ebida medicinal e nutritiva, resulta em uam cerveja cremosa e de amargor médio. Bastante encorpada e excura, produz uma espuma cremosa e tem aroma de malte e aveia.

  • Foreign Extra Sout
    Teor alcoólico: 5,5% a 8,0% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Wug


    Originalmente produzida em países tropicais, é geralmente chamada de Tropical Stout.
    É similar às cervejas dos estilos Dry Stout e Sweet Sout, porém mais escura e com maior teor alcoólico.
    Atualmente as cervejas deste estilo produzidas nos países trocipais são mais suaves e menos amargas do que as versões produzidas na Europa.

  • American Stout
    Teor alcoólico: 5,0% a 7,0% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    Versão americana na Foreign Extra Sout, utilizando ingredientes regionais e, geralmente, mais amarga e maltada.
    As cervejas deste estilo apresentam aroma forte de malte torrado, são bem mais escuras e opacas, e têm espuma persistente morrom clara.

  • Russian Imperial Stout
    Teor alcoólico: 8,0% a 12,0% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Mug


    As cervejas deste estilo são complexas, com variadas quantidades de grãos torrados, aromas frutados, muito lúpulo e álcool, que ajudava a armazenar o frio em suas longas viagens durante o inverno.



topo

Grupo: INDIA PALE ALE – IPA

Cerveja do século XVIII, fabricada especialmente para os oficiais do Exército Britânico residentes na Índia durante o período colonial, que enfrentavam calor insuportável e ausência de água potável.
Para ajudar a suportar a longa viagem desde a Inglaterra, sujeita a variações de temperatura e muito chacoalhar, a bebida era produzida com bastante lúpulo, o que lhe conferia sabor fortemente frutado e maior teor alcoólico.
Cervejas que se apresentam como IPAmas têm teor aalcoólico inferior a 5% apv não podem ser consideradas exemplos deste estilo.

  • English IPA
    Teor alcoólico: 5,0% a 7,5% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug


    A English IPA é uma versão mais amarga e alcoólica da English Pala Ale. O aroma do lúpulo é percebido imediatamente ao servir, o que é sua característica principal, embora seja menos lupulada que sua versão americana. Sua cor varia do âmbar dourado ao cobre claro. Apresenta pouca, mas persistente espuma.

  • American IPA
    Teor alcoólico: 5,5% a 7,5% pv
    Copos sugeridos: English Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug

    Versão americana da English IPA, produzida com ingredientes natives, é levemente mais amarga que ela, mas reflete a característica dos lúpulos americanos, que são perfumados, cítricos e florais.

  • Imperial IPA
    Teor alcoólico: 7,5% a 10% pv
    Copos sugeridos: English Pint, Nonic, Tumbler, Shaker, Willybecher, Mug, Snifter


    Este estilo de cerveja surgiu recentemente nos Estados Unidos para agradar a alguns aficionados por produtos mais amargos. Possui um dos mais altos índices de IBU entre as cervejas, que pode chegar a 120.

    É uma cerveja clara, complexa, com espuma persistente, e algumas vezes, turva. Tem alto teor alcoólico, podendo chegar a 10% de apv.


topo

Grupo: GERMAN WHEAT & RYE BEER

Em inglês, wheat significa “trigo”e rye “centeio”. Mas a palavra mais usada para se referir às cervejas de trigo vêm do alemão: Weizen, que significa “trigo”, e Weiss “branco”. Ambos os termos são usados para identificar as cervejas feitas de trigo – Weissbier e Weizenbier.

De acordo com as leis alemãs, para serem consideradas cervejas de trigo têm que ter, no mínimo 50% de malte de trigo e o restante de malte de cevada. Algumas vezes a bebida é filtrada e, nesse caso, é chamada Kristallweizen, por causa da sua transparência e da cor clara. Porém, se o prefixo Hefe (em alemão “fermento”) é adicionado, significa que a cerveja não foi filtrada e, portanto, ainda mantém algum fermento, o que aumenta um pouco mais a sua turbidez, já existente ao uso de trigo na receita. Nesse caso, é denominada Hefe-Weiss ou Hefeweizen.

  • Weizen ou Weissbier
    Teor alcoólico: 4,3% a 5,6% pv
    Copos sugeridos: Weizen, Lager


    É uma cerveja de trigo do sul da Alemanha, região da Baviera, produzida com pelo menos 50% de trigo. É a típica cerveja do versão europeu, considerada espumenta pelos alemães, que costumam bebê-la no desjejum. Tem um leve sabor de fruta (banana, maçã, ou ameixa). É muito clara, com espuma branca e abundante, e sempre efervescente.
    Neste estilo é fundamental a regra geral das cervejas: quanto mais jovem, melhor.

  • Dunkelweizen
    Teor alcoólico: 4,3% a 5,6% pv
    Copos sugeridos: Weizen, Lager, Mug


    As cervejas deste estilo contêm mais trigo (60%a 70%) e devem sua coloração mais escura ao malte de cevada torrado que compõem o restante da mistura, que não só escurece a bebida como também lhe confere um acentuado caráter de malte, não encontrado nas tradicionais cervejas de trigo.

    São cervejas ofervecentes, de marcante aroma de trigo com um toque sutil de banana. Sua cor vaira do cobre claro ao marrom amadeirado tipo mogno, e a presença do sedimento da fermentação lhes dá uma aparência turva, com espuma densa e persistente.
  • Weizenbock
    Teor alcoólico: 6,5% a 8,0% pv
    Copos sugeridos: Weizen, Lager, Mug


    As cervejas deste estilo combinam a qualidade de corpo da Bock com as qualidades de aroma da Dunkelweizen. A presença do malte é claramente percebida, embora com um leve sabor de cravo e banana. Algumas passam pela técnica de congelamento das Eisbock para reforçar aroma e teor alcoólico e, nesse caso, são chamadas de Weizeneisbock.

    O mais antigo exemplo deste estilo, a Schneider Aventinus, foi criado em 1907, usando o método chamado Traditionnelle, com levedo ainda ativo. Esse método é uma forma de processar vinhos brancos para que se tornem espumantes. Consiste em se provocar uma segunda fermentação na própria garrafa.
  • Roggenbier
    Teor alcoólico: 4,5 a 6,0% pv
    Copos sugeridos: Weizen, Lager, Mug


    A Roggenbier é uma cerveja antiga, originária de Regensburg, na região da Bavaria. É uma variação da Dunkelweizen, que usa centeio no lugar do trigo.

    Hoje em dia, a Roggenbier pode usar fermentos de Lager ou Ale, mas permanece uma bebida adstringente, refrescante, encorpada e com delicada presença de lúpulo, Geralmente não é filtrada, e sua aparência é turva, encorpada.



topo

Grupo: BELGIAN & FRENCH ALE
Nesse grupo são cervejas típicas da região franco-belga. Um dos tipos, o chamado Belgian Specialty Ale, é na verdade um estilo criado para abrigar as múltiplas variações disponíveis naquela região.

A Bélgica, em relação à cerveja, é conhecida muldialmente como a região mais criativa, por mistrurar o tradicional e o contemporâneo. Talvez influenciadas pela sofisticação gastronômica da cultura local, as cervejas ali criadas e prolduzidas utilizam muitas ervas, especiarias e variações no seu processo de produçào, o que permite uma variedade muito interessante da bebida, que explora amplamente os sentidos.

  • Witbier
    Teor alcoólico: 4,5% a 5.2% pv
    Copos sugeridos: Tumbler, Weizen, Lager


    As Witbier são muito diferentes das cervejas de trigo alemãs. Geralmente usam trigo não maltado e são temperadas com semente de coentro ou casca de laranja. Se engarrafadas, são vendidas como cerveje para acompanhar sobremessas. As similares alemãs usam trigo maltado, mas nenhum adjunto. Em geral são muito claras, mas turvas, por não serem filtradas. As filtradas são claras e por isso são chamadas de Kristall.

  • Belgian Pale Ale
    Teor alcoólico: 4,8% a 5,5% pv
    Copos sugeridos: Bolleke, Trapist, Snifter, Goblet


    As cervejas deste estilo são tracicionalmente produzidas na Bélgica desde o século XVIII, e foram aperfeiçoadas na segunda metade do século XX.
    São maltadas, frutadas, levemente amargas e ligeiramente picantes. Sua cor varia do âmbar ao cobre.
    Trata-se de uma bebida c remosa, mas sua espuma desaparece rapidamente, Por ser leve e de fácil degustação, é considerada a cerveja do dia a dia na Bélgica.

  • Saison
    Teor alcoólico: 5,0% a 7,0%
    Copos sugeridos: Tulip, Goblet


    É uma cerveja complexa tanto no aroma quanto no sabor, devido à enorme variedade de temperos que lhe são adicinados a lhe conferem características únicas e exclusivas.
    É muito refrescante e bastante carbonatada, conseguindo um equilíbrio notável entre a doçura do malte, o amargor do lúpulo e a acidez final. É também conhecida como Farmhouse Ale, cerveja camponesa.

  • Bière de Garde
    Teor alcoólico: 6,0% a 8,5%
    Copos sugeridos: Snifter, Tulip, Goblet


    Existem três variações: dourada (blond ou blonde), âmbar (amer ou amberé) e marrom (brows ou brune). Quanto mais escura for, maior a presença de malte e melhor a de lúpulo.
    O caráter geral dessa bebida é de malte, com alta carbonatação como Bière de Mars, por serem produziadas no mês de março.






































.

Mundo Cervejeiro

Beer & Bier - Cervejas Especiais | Seleção de Dezembro/2014

Postado por Beer & Bier - Cervejas Especiais em 11 novembro 2014 às 20:20 0 Comentários

• 2 ANOS BEER & BIER • 



Neste mês completamos 2 anos e gostaríamos em primeiro lugar de agradecer a todos que nos seguem por aqui!! Obrigado!



A Beer & Bier, sempre focada na satisfação de seus clientes traz mais uma grande seleção de cervejas em comemoração aos 2 Anos! No mês de dezembro de…

Continuar

Como dizia meu amigo Linus, hoje é o dia da "Grande Abóbora"

Postado por Lokobeer em 31 outubro 2014 às 18:30 0 Comentários

Enquanto a criançada entra na brincadeira de pedir doces no dia de Halloween, nós marmanjos aproveitamos o lado "travessura" da festa pra relacionar a abóbora, que simboliza este dia, com cervejas! Cervejas com abóbora!

Este estilo chamado Pumpkin Ale ("Pumpkin" é abóbora em…

Continuar

Como beber sem ficar bêbado

Postado por Lokobeer em 17 outubro 2014 às 21:00 0 Comentários

(FOTO: RUBENSGOMES/ EDITORAGLOBO)

Cervejeiro inventa fórmula esquisita para tomar uns goles a mais sem perder a dignidade. Pelo bem da ciência, GALILEU fez o teste

fonte:…

Continuar

Beer & Bier - Cervejas Especiais | Seleção de Novembro/2014

Postado por Beer & Bier - Cervejas Especiais em 14 outubro 2014 às 15:58 0 Comentários

A Beer & Bier, sempre atenta às novidades do mercado cervejeiro e focada na satisfação de seus clientes traz mais uma grande seleção de cervejas! Agora para o mês de novembro de 2014, os rótulos selecionados são os seguintes: Burgman Casanova (Plano Nacional + Misto),…
Continuar

Nova versão do aplicativo lokobeer traz recursos inovadores e muita tecnologia

 

  

Fotos

Carregando...
  • Adicionar fotos
  • Exibir todos

Membros

Não encontrou a cerveja que tomou?
Mande mensagem para lokobeer@lokobeer.com/ informando a cerveja que vamos pesquisar suas características e história e iremos acrescentá-la ao site o mais rápido possível. Em seguida você poderá adicionar a cerveja à sua coleção.

Música

Carregando...

© 2014   Criado por Alessandro SS.

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço